Escreva para expressar, não para impressionar.

O primeiro passo para planejar histórias sem engessar a criatividade

O primeiro passo para você começar a planejar sua história não deveria ser um passo, mas um salto.

Ou melhor ainda, vários saltos. De um pensamento para o outro, de uma inspiração para outra, de uma possibilidade para outra.

Tudo o que importa nessa etapa inicial do processo de criação é o prazer de explorar e expandir sua ideia.

Esse é o momento de deixar seu egocentrismo e megalomania reinarem.

Você está no centro dessa etapa cujo grande objetivo é se entusiasmar com a ideia de mergulhar cada vez mais fundo no universo de ficção que você está criando.

Escreva textos curtos sobre qualquer ideia relacionada à história. Crie listas, desenhos, mapas. Siga sua intuição.

Foque em se divertir e imaginar possibilidades.

Você ainda não está escrevendo para leitoras(es).

Você está escrevendo para si mesma(o), para entender melhor a inspiração que motivou você a escrever e para clarificar seus pensamentos.

Não se preocupe com a qualidade do texto. Mantenha suas expectativas baixas.

A sua ideia precisa dessa liberdade para crescer e se expandir.

Encare essa etapa inicial com leveza e curiosidade.

Não esqueça que imaginação vem antes de organização.

A escrita passou a ser fonte de ansiedade e angústia para você? Reencontre o prazer de escrever.  CLIQUE AQUI PARA SABER MAIS.

About the Author

Diego SchuttView all posts by Diego Schutt
Diego Schutt combina ideias de teoria literária, dramaturgia e psicologia social para ajudar escritores iniciantes e experientes a desenvolver textos com mais confiança, foco e impacto. Sua formação técnica em escrita criativa inclui cursos e oficinas no Brasil, Austrália, Suíça, Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra e Japão. Há 10 anos, ele escreve e edita o Ficção em Tópicos, o site mais completo sobre storytelling em Português.

3 Comments

  1. Diogo Gravena 24/04/2020

    É justamente isso que devo fazer. Eu tenho ideias, mas na hora de passar para o papel, eu travo. As poucas linhas que escrevo não estão boas para mim. E isso acaba me bloqueando.

  2. Matheus 21/08/2020

    Eu sinto um grande medo das minhas histórias, como se eu exigisse que elas já viessem prontas. O engraçado é que, como professor, eu sempre digo aos meus alunos que nenhum texto vem pronto, mas falho em seguir o meu próprio conselho. Talvez seja um grande medo do fracasso. Talvez seja hora de dar grandes saltos.

  3. ONAI ONAI 22/09/2020

    Não se preocupar com a qualidade do texto é um verdadeiro desafio pra mim…

Add comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Copyright 2010-2019 Diego Schutt - Todos os Direitos Reservados | Ficção em Tópicos