Escreva para expressar, não para impressionar.

Perfeccionismo é o desejo enrustido de não receber críticas

Perfeccionismo não é profissionalismo, não é padrão alto de qualidade e não é pura vaidade. Perfeccionismo é o desejo enrustido de não receber críticas.

A ideia de perfeição está relacionada à fantasia de se criar algo intocável e imune a julgamentos negativos, já que, supostamente, se atribuiu todas as qualidades possíveis a essa criação.

A pessoa perfeccionista quer lacrar, fazer algo tão bem feito que a única reação possível a sua criação é o aplauso, o elogio, a admiração.

O medo de alguém perceber que a gente não é tão maravilhosa(o) quanto acha que deveria ser é tão avassalador que só resta uma opção: procrastinar.

O escritor perfeccionista tem dificuldade de terminar seus textos porque vive na ilusão de que se trabalhar o suficiente, será capaz de controlar a reação dos seus leitores.

Falo com a autoridade de quem sofre desse mal há décadas. Olá, meu nome é Diego e eu sou perfeccionista.

Perfeccionismo é uma doença crônica que vai acompanhar você pelo resto da sua vida. É perda de tempo tentar eliminar seus impulsos perfeccionistas. Em vez disso, procure aprender a administrar esses pensamentos que acabam impedindo você de escrever porque nunca consegue atingir esse ideal de qualidade que você decidiu que precisa atingir.

Um dos melhores remédios contra o perfeccionismo é desenvolver um processo de criação, ou seja, criar um fluxo de trabalho que ajude você a, mesmo tendo pensamentos perfeccionistas, conseguir terminar seus textos.

Sempre que bater esse medo de receber críticas, siga os seguintes passos:

  1. Admita para si mesmo esse medo crônico de errar e ser criticado.
  2. Se coloque no lugar de quem vai ler seu texto e considere que detalhes são essenciais para criar a experiência de leitura que você deseja.
  3. Reconheça que detalhes têm como função primordial afagar o cantinho do seu ego extremamente preocupado em projetar uma imagem de gênia(o) e desapegue.

Concentra teus esforços em escrever textos que entreguem algo de valor para quem te lê. É a única coisa que importa.

Admita que você é perfeccionista nos comentários. Não me deixa sozinho aqui.

A escrita passou a ser fonte de ansiedade e angústia para você? Reencontre o prazer de escrever.  CLIQUE AQUI PARA SABER MAIS.

Sobre o Autor

Diego SchuttLer todos os textos de Diego Schutt
Diego Schutt combina ideias de teoria literária, dramaturgia e psicologia social para ajudar escritores iniciantes e experientes a desenvolver textos com mais confiança, foco e impacto. Sua formação técnica em escrita criativa inclui cursos e oficinas no Brasil, Austrália, Suíça, Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra e Japão. Há 10 anos, ele escreve e edita o Ficção em Tópicos, o site mais completo sobre storytelling em Português.

5 escritores têm algo a dizer sobre este texto

  1. Mateus 07/02/2020

    Confesso que também faço parte do time dos perfeccionistas haha, mas enfim consegui criar um método para lidar com essa situação.
    Comecei uma rotina de escrever sem revisar, apenas dando vazão à ideia planejada do capítulo. Claro que faço um outro ajuste para amarrar melhor os detalhes da trama, mas quando eu terminar de escrevê-lo, finalmente revisarei o livro de verdade.

  2. Alípio Afonso 07/02/2020

    Oi, meu nome é Alípio Afonso e eu sou perfeccionista, kkkk

    Aproveitando esse comentário…. uma dúvida que eu sempre tive é… Se eu quisesse corrigir uma coisa num livro já publicado, como por exemplo… Alterar a cronologia de acontecimentos, adicionar ou remover coisas… como eu faria isso? Volume 2 revisado e alterado?
    Seria razoável?

  3. Author
    Diego Schutt 10/02/2020

    Oi Mateus.

    Esse é um dos melhores antídotos contra o perfeccionismo: desenvolver um processo de criação que ajude você a superar suas dificuldades e bloqueios. Legal que você está conseguindo escrever apesar de suas tendências perfeccionistas.

    Obrigado pelo comentário. 🙂

  4. Author
    Diego Schutt 10/02/2020

    Oi Alípio Afonso

    Bem-vindo ao clube! Hahahahaha. 🙂

    Sobre sua pergunta, para mudar algo em um livro publicado, você lança uma segunda edição. Segundo volume pode dar a ideia de que é uma continuação, uma sequência da história.

    Obrigado pelo comentário.

  5. Sou Fernando Absalão Chaúque, autêntico perfeccionista??????

Gostou do texto? O autor vai adorar saber. Deixe um comentário e compartilhe o artigo com outros escritores.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Copyright 2010-2019 Diego Schutt - Todos os Direitos Reservados | Ficção em Tópicos