Escreva para expressar, não para impressionar.

Use arquétipos para evocar uma conexão imediata com o leitor

Por Diego Schutt em 24/04/2019 Tópicos: Começar a Escrever, Dicas, Escrever Ficção, Técnicas
2
56

Um arquétipo representa um modelo universal e reconhecível de uma ideia, experiência ou papel social. São os conceitos, mitos, símbolos e padrões de comportamento que ganharam status de “verdade testada pelo tempo” porque fizeram sentido para um grande número de pessoas ao longo dos séculos. Por isso, eles continuam sendo ensinados e reproduzidos até hoje.

Em narrativas de ficção, é comum o uso de personagens arquetípicos (o órfão, o herói, o forasteiro, o vilão, o mentor, a deusa, a matriarca, a princesa etc), imagens arquetípicas (o sol, o rio, o deserto, as montanhas, um coração, uma cobra, uma semente etc), eventos arquetípicos (nascimento, separação dos pais, casamento, morte etc) e experiências arquetípicas (a perda da inocência, se apaixonar, a busca por objetivos, a luta do bem contra o mal, o contato com nosso lado negro, a busca por uma identidade etc).

Tudo o que você precisa saber para começar a escrever melhor

Por reproduzir ideias universalmente compreensíveis e familiares, arquétipos são capazes de evocar no leitor uma conexão imediata com o texto e uma reação profunda e inconsciente à narrativa. O reconhecimento do familiar no desconhecido permite uma interpretação mais pessoal da história, o que resulta em empatia emocional – a capacidade de sentir as emoções de outra pessoa como se fossem nossas.

Arquétipos se tornam clichês quando o escritor os reproduz de forma genérica e superficial, sem estabelecer uma relação com o contexto específico da história e sem oferecer uma interpretação pessoal de seus significados.

Esta é uma das 25 dicas do livro 2 da série Escreva Mais e Melhor. Descubra mais sobre o ebook clicando aqui.

Tudo o que você precisa saber para começar a escrever melhor

Sobre o Autor

Diego SchuttLer todos os textos de Diego Schutt
Diego Schutt combina ideias de teoria literária, dramaturgia e psicologia social para ajudar escritores iniciantes e experientes a desenvolver textos com mais confiança, foco e impacto. Sua formação técnica em escrita criativa inclui cursos e oficinas no Brasil, Austrália, Suíça, Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra e Japão. Há 10 anos, ele escreve e edita o Ficção em Tópicos, o site mais completo sobre storytelling em Português.

2 escritores têm algo a dizer sobre este texto

  1. Magaly Fenandes 26/04/2019

    Gostei do texto , uma técnica interessante para quando estamos na face do projeto do livro. Porém ,penso eu que quando se parte para a escrita em si, é necessário deixar o imaginário e a criatividade fluírem.

  2. Author
    Diego Schutt 26/04/2019

    Oi Magaly

    Acredito que pensar em arquétipos, assim como em qualquer outro conceito relacionado à escrita de ficção, é simplesmente uma forma do escritor ganhar perspectiva sobre suas ideias. Concordo com você que, no momento da escrita, a imaginação é o melhor guia.

    Obrigado pela leitura e pelo comentário.

Gostou do texto? O autor vai adorar saber. Deixe um comentário e compartilhe o artigo com outros escritores.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Copyright 2010-2019 Diego Schutt - Todos os Direitos Reservados | Ficção em Tópicos