Escreva para expressar, não para impressionar.

Muitos escritores confundem progresso com sucesso. Você também?

Por Diego Schutt em 19/03/2018 Tópicos: Escrever Ficção, Estilo
1
114
A imagem acima usa o ícone “Success” criado por Becris do Noun Project.

Texto da escritora convidada Dawn Field

Cada texto que você termina é mais um passo a frente. Mesmo os rascunhos que você joga fora são passos importantes na sua jornada como escritor. Cada passo pode ser pequeno, mas toda prática da escrita torna você um escritor melhor.

Além de ajudar você a entender como o processo de criação funciona, pensar na escrita como um processo gradual ajusta suas expectativas sobre resultados que você pode alcançar e permite que você dê o devido valor as suas conquistas ao longo do caminho. Seu desafio constante é identificar as qualidades dos textos que você escreveu e o que pode ser melhorado. Cada vez que você encontra uma forma de expandir, mudar ou editar um texto, você avança como escritor.

Desenvolver suas habilidades de escrita exige dedicação. Você precisa praticar colocando muitas palavras em inúmeras páginas. Você precisa lidar com rejeições, aprender o ofício da escrita, descobrir como aprimorar ideias, trabalhar para dar unidade aos seus textos e, acima de tudo, você precisa ser persistente. Depois de dominar aspectos básicos da escrita – como ter um bom domínio gramatical – você pode começar a produzir textos que serão bem recebidos pelos leitores com base em seus méritos criativos.

Muitas vezes, a grande satisfação que vem após a conclusão do rascunho de um texto apenas representa seu progresso pessoal como escritor, uma nova habilidade que você desenvolveu. Considere esse momento como uma vitória pessoal, mesmo que esse texto nunca encontre leitores. Comemore essa conquista, mas não considere seu trabalho como terminado.

Conheça abaixo algumas situações em que “progresso” pode ser confundido com “sucesso”.

1. Registrei uma experiência real

Você conseguiu traduzir em palavras uma experiência que você viveu? Excelente. A capacidade de transformar ações e emoções em palavras é uma habilidade importante. Mas isso não é suficiente para se criar uma experiência de leitura fascinante, a não ser que as ações e emoções, em si, sejam fascinantes.

Às vezes, a satisfação profunda que você sente ao escrever um texto pode ser resultado da facilidade com que você transformou seus sentimentos e ações em palavras, e não do valor das próprias palavras.

2. Meu melhor texto até agora

Esse é o melhor que você já escreveu? As escolhas de palavras são perfeitas? O vilão é impressionante? Essa história está mais detalhada do que qualquer coisa que você já criou? Ótimo! Isso é sinal de sucesso, mas provavelmente é um tipo de sucesso pessoal.

Certamente, este texto é melhor do que seus textos anteriores, mas quando você ainda está desenvolvendo fluência em escrita, provavelmente ainda não atingiu o auge de suas habilidades. Cada sinal de avanço deve ser comemorado, e quanto mais você se esforçar para desenvolver sua técnica, melhor será a qualidade da sua escrita.

3. Meu texto mais rápido até agora

A história que você escreveu surgiu na sua mente de repente? Foi um dos textos mais rápidos que você já escreveu? É uma sensação incrível quando se consegue fazer em pouco tempo o que costuma levar muito tempo.

Este é outro grande sinal de progresso, mas do seu progresso como escritor, que não deve ser confundido com um bom texto. Ainda assim, pontos para você por estar desenvolvendo suas habilidades.

4. Saí da minha zona de conforto

Cada vez que você consegue escrever sobre um novo tema, ou usar um nova estrutura de enredo, ou completar uma nova seção de um livro que está escrevendo, talvez você se sinta realizado. Devido a sua experiência acumulada até aqui, você conseguiu atingir resultados melhores do que nas suas tentativas anteriores.

Isso é uma marca definitiva de progresso, mas raramente é um sinal de que você terminou sua trajetória de desenvolvimento como escritor. Reflita sobre o que escreveu e se pergunte se o texto lhe parece tão bom somente em comparação com suas versões anteriores ou se, de fato, ele já atingiu seu nível máximo de qualidade.

5. Coloquei em prática uma nova técnica

Se você nunca escreveu um diálogo e acabou criando algo que realmente gosta, é provável que você esteja no caminho certo para se tornar um bom escritor. Mas você ainda não chegou lá. Isso é verdade para qualquer coisa que você faz pela primeira vez. Com exceção da ocasional “sorte de iniciante”, seus melhores textos serão resultado de longos períodos de prática.

Mas escrever um ótimo diálogo é um grande sinal de progresso, assim como escrever uma descrição precisa, criar uma bela imagem usando uma metáfora, ou qualquer outra habilidade para trabalhar com palavras que você incluir ao seu repertório. Afinal, você precisa ser capaz de fazer tudo isso para completar o projeto de um livro com sucesso.

6. Terminei um projeto longo

É a primeira vez que você terminou de escrever um livro? Terminar textos mais longos é uma tarefa difícil. Parabéns pelo seu esforço. Persistência e a capacidade de terminar o que você começou é uma habilidade essencial para quem escreve, algo que você deve praticar repetidamente.

Mas ainda que finalizar um projeto longo seja algo fantástico, nem sempre isso significa que o resultado está excelente, em especial se é a primeira história que você terminou.

7. Entrei em estado de flow

Às vezes, vai parecer que sua mente ou seus dedos estão transbordando de energia. Pensamentos surgirão mais rápido do que sua capacidade de registrá-los com uma caneta, teclado ou gravador. Às vezes, você vai escrever com paixão e intensidade. Isso significa que você está em estado de flow. Seu pulso aumenta. Tudo parece se encaixar. Assim como o barato da adrenalina nas veias de um corredor, esta é a razão pela qual muitas pessoas insistem em escrever.

Dada a natureza aditiva dessa adrenalina, a pergunta que você deve se fazer é se a qualidade que você enxerga neste texto é resultado do seu entusiasmo com uma dessas “corridas” ou de uma nova habilidade desenvolvida. À medida que o estado de flow se dissipa, suas palavras e idéias ainda parecem interessantes? Assim como registrar em palavras a melhor idéia que você já teve na vida logo depois de acordar de um sonho, o texto ainda lhe parece tão bom quando o sol está alto no céu e você tomou três xícaras de café?

 

Todos 0s momento acima são conquistas importantes na sua trajetória como escritor. Comemore cada vez que um deles acontecer e, depois, continue se esforçando para seguir desenvolvendo suas habilidades. Siga se esforçando para se tornar um escritor melhor gradualmente e a qualidade da sua escrita vai, eventualmente, começar a chamar a atenção de seus leitores.

Ame todos os rascunhos que escrever, mas mantenha seu foco na escrita da próxima versão do texto.

Com freqüência, você vai se sentir bloqueado enquanto escreve uma história. Depois de uma longa jornada de aprendizado e de muito trabalho, vai se tornar cada vez mais difícil identificar como melhorar qualquer coisa em um texto que você está escrevendo.

É ótimo chegar neste ponto onde você escreveu a melhor versão que consegue imaginar para uma narrativa. Mas e se for possível melhorar esse texto ainda mais? A melhor maneira de testar essa hipótese é encontrar alguém para fazer uma leitura crítica do que você escreveu.

Muitas vezes, simplesmente considerar um texto como finalizado desencadeia novas ideias. Você muda sua perspectiva de escritor para leitor, de produtor para consumidor.

Descobrir como outras pessoas reagem ao seu texto permite que você se afaste do que escreveu e considere a experiência de leitura completa.

Ao fazer isso, provavelmente você descobrirá que aspectos do texto ainda podem ser melhor trabalhados. Ótimo. Mais pontos para você considerar que têm o potencial de elevar o nível da narrativa.

Quando você recolhe os objetos e papéis jogados sobre uma mesa, você se sente satisfeito por ter organizado a bagunça. Agora, entretanto, você pode ver a poeira embaixo da mesa, as manchas de café e os buracos no tapete. Isso é sinal de que você tem mais trabalho a fazer. O mesmo vale para o processo de edição e revisão dos seus textos.

Reconhecer que sua história ainda está longe de ter atingido todo o seu potencial talvez seja desencorajador no curto prazo. Mas lembre-se que você está buscando uma recompensa maior: atingir um nível de qualidade mais alto para criar uma experiência de leitura mais prazeirosa.

Outra estratégia para melhorar seus textos é guardá-los e esperar, quanto mais tempo, melhor, alguns dizem. Deixe eles fermentando em uma gaveta. Quando você reler esses textos no futuro, você vai reparar em coisas que não poderia ter reparado antes. Você terá o benefício do olhar distante. Você não vai se lembrar do que escreveu e, assim, poderá ler o texto com novos olhos.

Muitos escritores incorporaram esse distanciamento ao seu processo.

Zadie Smith é uma escritora renomada e experiente, mas ela admite só perceber problemas em seus textos depois de se afastar deles. Isso é prova de que não importa o quão bom você é, sempre há formas de elevar sua escrita para um nível mais alto. A escritora descreveu com beleza esse processo de autoedição em um festival literário:

“Naquele momento, cada frase redundante, cada metáfora exibida e inútil, todas as passagens desnecessárias, toda estupidez, vaidade e tédio se tornam óbvios para você. Dois anos antes, quando você revisou o texto, você olhou para a mesma página e não conseguiu ver uma vírgula fora do lugar.”

Muitas das suas ideias podem acabar guardadas embaixo da cama, perdidas em folhas de papel, ou esquecida antes mesmo que você consiga registrá-las em palavras. Ainda assim, toda essa prática acumulada vai tornar você um escritor mais competente.

Seus melhores textos serão aqueles que passarem por uma série de edições, suas e de outras pessoas. Tudo isso faz parte do processo de escrita. Na maioria das vezes, seu progresso como escritor só pode ser medido quando você consegue revisar, editar e escrever versões melhores dos seus textos. Com o tempo, esse progresso gradual se transformará em sucesso.

Sobre a autora: Dawn Field ama livros e se interessa em entender de que são feitas as grandes histórias. Depois de uma carreira de 20 anos em pesquisa científica, seu primeiro livro “Biocode” foi publicado pela Oxford University Press. Ela mora no estado de Virgínia, nos Estados Unidos, e deseja trabalhar com escritores de ficção como mentora, editora e consultora sobre o processo de publicação. Ela também é criadora do site unityinwriting.blog. Dawn Field autorizou a publicação da tradução de Diego Schutt do texto original em inglês. É proibida a reprodução desse artigo sem autorização por escrito.

QUER ESCREVER COM MAIS CONFIANÇA?

Aprenda a explorar diferentes formas de desenvolver uma ideia, identificar padrões improdutivos nos seus hábitos de escrita e contornar obstáculos que fazem você abandonar textos pela metade. CLIQUE AQUI PARA SABER MAIS.

Sobre o Autor

Diego SchuttLer todos os textos de Diego Schutt
Diego Schutt combina ideias de teoria literária, dramaturgia e psicologia social para ajudar escritores iniciantes e experientes a desenvolver textos com mais confiança, foco e impacto. Sua formação técnica em escrita criativa inclui cursos e oficinas no Brasil, Austrália, Suíça, Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra e Japão. Há 8 anos, ele escreve e edita o Ficção em Tópicos, o site mais completo sobre storytelling em Português.

Um escritor tem algo a dizer sobre este texto

  1. Elcidio Quinhentos 25/03/2018

    Muito bom. Aprendi um.pouco sobre literatura. Eu como amador na escrita, espero encontrar através deste ensinamento a minha própria direcção. Poder registar mais minhas ideias e transforma-las em algo útil e desejavel a todos amantes da escrita.
    Amém.

Gostou do texto? O autor vai adorar saber. Deixe um comentário e compartilhe o artigo com outros escritores.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

 

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Copyright 2010-2018 Diego Schutt - Todos os Direitos Reservados | Ficção em Tópicos