Aprenda a criar experiências com palavras

Você é fluente em escrita?

Por Diego Schutt em 29/01/2018 Tópicos: dicas, escrever, escrita criativa, inspiração, storytelling
3
81
A imagem acima usa um ícone originalmente criado por Xela Ub do Noun Project. Licença para uso disponível aqui.

Texto da escritora convidada Dawn Field

À medida que você se desenvolve como escritor e trabalha para aperfeiçoar suas habilidades, o que você está tentando melhorar é a sua fluência em escrita. Quando pensamos na palavra “fluência” ou “fluente”, pensamos no uso automático e apropriado de palavras para representar pensamentos e idéias. Se alguém é fluente em um idioma, todas as palavras que essa pessoa precisa para se expressar lhe ocorrem naturalmente no contexto do uso cotidiano da fala e da escrita. Se alguém não é fluente, encontra dificuldades para traduzir suas idéias abstratas em pensamentos concretos. Faltam palavras, elas não combinam umas com as outras ou não fazem sentido.

Quando você é fluente, você não encontra problemas para transformar suas ideias em palavras.

Escritores precisam atingir níveis ainda mais altos de fluência porque eles trabalham no domínio de ideias extraordinárias. O idioma escrito é mais formal e expressivo, especialmente no uso da linguagem figurativa.

Escritores estão constantemente se esforçando para melhorar sua fluência em escrita. É uma tarefa complexa porque expressar ideias extraordinárias com sequências de palavras exige domínio técnico. Essa melhora na fluência leva tempo e acontece gradualmente através do desenvolvimento de certas habilidades de escrita. A fluência de certos escritores pode ser observada nas suas escolhas de palavras, na lógica das suas histórias e, em sua essência, na forma como eles apresentam as ideias que desejam expressar.

É preciso um certo vocabulário e a capacidade de juntar palavras para se escrever uma lista de compras, um bilhete para um professor avisando que se está doente, ou um email para um ente querido. É necessário um vocabulário bem mais sofisticado e capacidade de combinar as palavras certas para se escrever um livro que alguém vai se interessar em ler e, mais importante, apreciar o que leu. Para alcançar esse efeito, você deve ser capaz de produzir sequências de palavras longas, bem conectadas, estruturadas e cheias de textura para criar novos universos de ficção.

Alguns escritores são brilhantes estilisticamente, mas não conseguem desenvolver um enredo para suas histórias. O que eles escrevem são fluxos infinitos de frases e cenas incríveis, mas sem uma trama que conecte essas informações e eventos. Alguns escritores criam enredos de histórias geniais, mas simplesmente não conseguem encontrar as palavras certas para descrever esses acontecimentos de uma forma envolvente. Suas frases e parágrafos soam estranhos ou forçados.

A chave para se escrever bem é criar um senso de coesão,  demonstrando fluência na forma de compartilhar e conectar informações e ideias ao longo da narrativa.

Então, como você pode melhorar sua fluência em escrita? Praticando? Sim. Você precisa estar ciente do seu nível de fluência e trabalhar para melhorar constantemente. Você também precisa avaliar as qualidades e defeitos da sua escrita. Quais são os seus pontos fortes e fracos?

Desenvolver fluência é aprimorar suas habilidades na escolha de palavras e na escrita de diálogos, além de exercitar sua capacidade de criar imagens visuais, manter um mesmo tom ao longo do texto e, acima de tudo, escrever como você. Desenvolver fluência também envolve a prática de construção de personagens vívidos, estruturação de enredos e dramatização de temas importantes para você.

Outra habilidade importante que você precisa desenvolver é controlar o ritmo da narrativa. Isso significa saber quando intensificar o nível de conflito no texto e quando diminuí-lo, além da capacidade de manter tensão ao longo da história, até o clímax. A fluência em escrita também está relacionada à facilidade do escritor para expressar abstrações, descrever detalhes concretos e saber qual dessas opções é a mais adequada em cada momento do texto e em que intensidade.

A fluência em escrita exige do escritor habilidades analíticas e intuitivas para unir todos os ingredientes de uma história.

Você também precisa ser fluente a respeito do conteúdo sobre o qual está escrevendo, seja caça à baleia, mineração de diamantes ou viagens espaciais.

A fluência em escrita também requer que você considere como estruturar informações para que elas sejam facilmente compreendidas. Como você faz a transição de uma cena para outra? Você usa mais sumários narrativos, descrições detalhadas ou diálogos? Quantas vezes você usou cada um desses recursos? Você escreve bons começos, mas tem dificuldade com os finais de suas histórias? Seus textos perdem o fôlego no meio ou ganham ainda mais energia na metade final?

Basicamente, a fluência em escrita abrange tudo. É o ponto de convergência de uma enorme variedade de habilidades que culminam com o escritor transformando sequências de palavras em significados e encontrando um equilíbrio perfeito para contar uma história da maneira mais imaginativa e memorável possível.

 

Sobre a autora: Dawn Field ama livros e se interessa em entender de que são feitas as grandes histórias. Depois de uma carreira de 20 anos em pesquisa científica, seu primeiro livro “Biocode” foi publicado pela Oxford University Press. Ela mora no estado de Virgínia, nos Estados Unidos, e deseja trabalhar com escritores de ficção como mentora, editora e consultora sobre o processo de publicação. Ela também é criadora do site unityinwriting.blog. Dawn Field autorizou a publicação da tradução de Diego Schutt do texto original em inglês. É proibida a reprodução desse artigo sem autorização por escrito.

Publicidade

Sobre o Autor

Diego SchuttLer todos os textos de Diego Schutt
Diego Schutt combina ideias de teoria literária, dramaturgia e psicologia social para ajudar escritores iniciantes e experientes a desenvolver textos com mais confiança, foco e impacto. Sua formação técnica em escrita criativa inclui cursos e oficinas no Brasil, Austrália, Suíça, Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra e Japão. Há 8 anos, ele escreve e edita o Ficção em Tópicos, o site mais completo sobre storytelling em Português.

3 escritores têm algo a dizer sobre este texto

  1. Cineide Coelho 01/02/2018

    Amei!

  2. Arnaldo Toni 04/02/2018

    Um tema específico: “Fluência”, porém, o conteúdo do texto trás uma ampla abrangência, que acaba englobando muitos elementos que estudo em técnicas literárias. Não gostei, diz tudo e muito pouco infelizmente. No que me ajudou efetivamente em termos operatórios? Nada, para reflexão isso sim, mas pouco ajuda por que isso tem muito na internet.

  3. Author
    Diego Schutt 07/02/2018

    Oi Arnaldo

    Tudo bem?

    Obrigado pelo comentário. De fato, esse texto faz mais um convite para reflexão do que compartilha técnicas práticas.

    Sobre que tópicos você gostaria de ler a respeito? Seria ótimo se você pudesse me dar algumas sugestões.

    Acabei de publicar um novo artigo: 13 técnicas práticas para transformar clichês em ideias originais.

    Espero que as dicas desse texto ajudem você. Depois me diz o que achou.

    Obrigado pela leitura.

    abs
    Diego

Gostou do texto? O autor vai adorar saber. Deixe um comentário e compartilhe o artigo com outros escritores.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

 

Copyright 2010-2018 Diego Schutt - Todos os Direitos Reservados | Ficção em Tópicos