Aprenda a criar realidades com palavras

Escreva com um olho no microscópio e o outro no telescópio

Por Diego Schutt em 10/04/2017 Tópicos: dicas, escrever, escrita criativa, inspiração
5
128

No vídeo “É tempo de viver sem medo” (disponível no final do artigo), Eduardo Galeano fala sobre como sua forma de olhar e interpretar o mundo molda seu trabalho como escritor. Abaixo, uma tradução livre do meu trecho favorito da entrevista.

“Um jornalista me falou: lendo seus livros, sinto que você tem um olho no microscópio e outro olho no telescópio. Achei uma boa definição, pelo menos do que é minha intenção, do que eu gostaria de fazer escrevendo. Ser capaz de olhar para o que não se olha, mas que merece ser olhado, as coisas pequenas e minúsculas de pessoas anônimas, de pessoas que os intelectuais costumam desprezar. São esses micro-mundos que, eu acredito, salientam a verdadeira grandeza do universo. 

E ao mesmo tempo, [minha intenção é] ser capaz de contemplar o universo através do buraco da fechadura, ou seja, a partir das pequenas coisas, ser capaz de olhar para as grandes – os grandes mistérios da vida, o mistério da dor humana, mas também o mistério da persistência humana.”

Essa passagem me lembrou sobre o que Robert Mckee fala nesta entrevista sobre o tempo que um escritor leva para acumular experiências, para aprender a identificar as ironias da vida e para desenvolver suas próprias teorias a respeito de como o mundo e as pessoas realmente funcionam.

Esse ganho de perspectiva – que é resultado de reflexão e autoconhecimento – e essa interpretação de diferentes aspectos da vida a partir de um olhar sensível e experiente é o que permite a criação de histórias que, apesar de descrever apenas o que acontece no microcosmos da vida de um personagem, representam o macrocosmos da experiência humana.

Essa relação entre micro e macro também é reforçada neste texto do The School of Life, que fala sobre como grandes escritores podem estar nos contando uma história sobre a infância de sua tia ou sobre um passeio na floresta, mas na maneira como narram, tais escritores conseguem, habilmente, extrair uma dimensão universal de suas experiências. Assim, suas histórias não são apenas anedotas pessoais – que não ecoam na mente de outras pessoas – mas histórias universais, que são simultaneamente deles e nossas.

Na prática, olhar no telescópio é considerar as engrenagens da narrativa, como as cenas se complementam, como o conflito se intensifica, como o enredo se desenvolve, como progressivamente o texto revela camadas mais profundas dos personagens e explora nuances do tema da história. Olhar no microscópio é considerar a escolha de palavras, a sequência de frases e parágrafos, os detalhes do universo de ficção compartilhados em cada cena, a atmosfera, o ritmo e a textura do texto.

Alternar sua atenção entre o geral (a essência do que você deseja expressar com a história) e o específico (a forma como cada passagem ilustra um aspecto do tema e guia a percepção do leitor) é um excelente exercício para ajudar você a pensar em formas de enriquecer seu texto. 

Abaixo, o vídeo com a entrevista com o escritor Eduardo Galeano, mencionada no início do artigo.

Sobre o Autor

Diego SchuttLer todos os textos de Diego Schutt

Diego Schutt combina ideias de teoria literária, dramaturgia e psicologia social para ajudar escritores iniciantes e experientes a desenvolver textos com mais confiança, foco e impacto. Sua formação técnica em escrita criativa inclui cursos e oficinas no Brasil, Austrália, Suíça, Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra e Japão. Há 7 anos, ele escreve e edita o Ficção em Tópicos, o site mais completo sobre storytelling em Português.

5 escritores têm algo a dizer sobre este texto

  1. Devair 10/04/2017

    Sim, gostei muito e o considero muito sugestivo na formação de um critério para se dar vida a uma história e seus personagens. Escrever não é difícil, o difícil é dar vivacidade aos elementos vivos da narrativa e deixa-la com a cara e com os sentimentos dos leitores. Faze-los rir e chorar em cada situação que caiba tais expressões humanas. É ai que mora muitas das nossas dificuldades.
    Obrigado pelas palavras.

  2. Excelente. O curioso é que descobri que já procurava por isso, mas não conseguia encontrar, nem o microscópio e nem o telescópio.

  3. celina coluna 18/04/2017

    para mim foi um prazer perceber que existe uma forma muito mais eficaz para escrever e perceber como chegar a memoria emotiva do leitor. sou um embrião na escrita e desejo crescer e aprender com as as sua dicas. Microscópico e telescópio interessante.

  4. Renata 30/05/2017

    Sabe, cada novo texto publicado aqui me deixa um pouco mais atônita. Me pego descobrindo explicações para o que sinto, aprendo como me sinto com relação a leitura e a escrita e cada dia tenho mais certeza de que nasci para escrever sobre o que as pessoas não conseguem perceber. Olhar uma pessoa caminhando na rua, e ver nela a magia da vida expressada em cada passo e mover de braços.

    Ainda nem comecei engatinhar com a escrita, e tenho muito, muito á aprender, mas sinto que de texto em texto estou chegando mais perto de levar o verdadeiro prazer de viver diferentes histórias ás pessoas

    Estou encantada…

  5. Alexandra 29/07/2017

    Mais uma vez um artigo fantástico! Muito obrigada por ter criado este site, muito obrigada por trazer tantos artigos e dicas maravilhosas para aqui, muito obrigada!

Gostou do texto? O autor vai adorar saber. Deixe um comentário e compartilhe o artigo com outros escritores.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Copyright 2010-2017 Diego Schutt - Todos os Direitos Reservados | Ficção em Tópicos