Escreva para expressar, não para impressionar.

Minha ideia de história é boa?

By Diego Schutt on 06/03/2017 in Dicas, Escrever Ficção
6
116
A imagem acima é resultado da junção de ícones originalmente criados por Juan Manuel Corredor e IconDots. Licença para uso disponível aqui.

 

Não importa. Isso mesmo. Não importa se sua ideia de história é boa. Ou ruim. Uma ideia é apenas um ponto de partida para você começar a escrever. Já vi ideias sem graça ganharem vida quando a narrativa estava pronta. Já vi ideias fantásticas resultarem em textos chatos.

O leitor não está nem um pouco interessado na genialidade da sua ideia de história.

Essa preocupação é apenas sua, prezado escritor. Tudo que o leitor quer é uma experiência de leitura que recompense seu tempo. Não existe experiência de leitura em uma ideia.

Tendo dito isso, essa ansiedade é natural e comum. Idealmente, quando articulamos nossa ideia de forma sucinta para um amigo, desejamos que ela revele o potencial dramático ou expressivo da narrativa e desperte nele o mesmo entusiasmo que nos motivou a desenvolver esse universo de ficção. Se isso acontece, é sinal de que a pessoa reconheceu o potencial da sua história. Ótimo começo.

No entanto, as qualidades de muitas ideia só se revelam quando começamos a escrever, na escolha das palavras, no acúmulo de frases e nas imagens e sensações evocadas na sequência dos parágrafos.

Nunca descarte uma ideia baseado simplesmente na classificação superficial entre boa ou ruim, sendo essa a sua avaliação ou a de outras pessoas. Muito provavelmente, sua dificuldade em articular as qualidades e o potencial que você enxerga nessa história é seu maior problema.

Eis alguns pontos para você considerar:

  • Por que, dentre outras milhares de ideias, você escolheu essa como base para escrever sua história?
  • Especificamente, o que nessa ideia desperta sua imaginação? Um personagem, um conflito, uma cena, um cenário, um diálogo, um tema?
  • Que características a narrativa precisa ter para expressar todas as qualidades e o potencial que você enxerga nessa ideia?

Muitas vezes, quando você encontra uma ideia que considera excelente, fica obcecado em executá-la tal como havia inicialmente imaginado, tornando o processo de criação rígido, previsível e frustrante. Ao encarar sua inspiração apenas como um pontapé inicial para começar a escrever, você segue aberto para possibilidades inesperadas e se mantém flexível para explorar possibilidades que surgirem pelo caminho.

Nesse primeiro momento, quando você acabou de encontrar uma ideia de história, comece escrevendo simplesmente para explorar, na prática, o potencial desse universo de ficção. Não se preocupe com o que a ideia é. Ao invés disso, concentre seus esforços em imaginar o que a ideia pode ser.

Baixe uma amostra grátis do 1º Ebook do Ficção em Tópicos

About the Author

Diego SchuttView all posts by Diego Schutt
Diego Schutt combina ideias de teoria literária, dramaturgia e psicologia social para ajudar escritores iniciantes e experientes a desenvolver textos com mais confiança, foco e impacto. Sua formação técnica em escrita criativa inclui cursos e oficinas no Brasil, Austrália, Suíça, Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra e Japão. Há 8 anos, ele escreve e edita o Ficção em Tópicos, o site mais completo sobre storytelling em Português.

6 Comments

  1. Kalew Nicholas 17/03/2017

    Texto excelente pra quem, como eu, está quase desistindo de um projeto por achar a ideia demasiadamente merda.

  2. Helena Macedo 20/03/2017

    Amei o texto, me ajudou bastante. Porém, por mais que eu pesquise ou leia ou leia vários livros, não consigo editar o meu primeiro livro. O tempo vai passando, minha idade avançando e o meu sonho de ser escritora vai ficado cada vez mais distante. Abraços de uma escritora no anonimato.

  3. Luiz Nogueira Jr. 04/04/2017

    Texto extremamente impactante! Tenho uma ideia para escrever mas já estou preocupado com o fim da história… Pois é, deixarei a ideia fluir e percorrer minha mente. Que as possibilidades sejam muitas! Obrigado pelas dicas Diego!

  4. Nara Guimarães 06/01/2018

    Amei esse post, realmente algo que me preocupava muito era se a ideia era ruim ou não, passei a escrevê-las assim mesmo.Porém tive um grande bloqueio em uma ideia super fantástica que surgiu e acabei por ficar muito entusiasmada, escrevi o primeiro capítulo e de repente eu já não conseguia escrever os seguintes, motivo pelo qual achei o site. E logo depois tive uma ideia que não me empolgou tanto, mas mesmo assim escrevi e decidir continuar e já escrevi muitos capítulos.
    Esse artigo me ajudou muito a perceber que realmente a questão de a ideia ser boa ou não é um problema só comigo, o leitor não liga para a ideia apenas quer degustar de algo bom que o faça abdicar de um pouco de tempo para ler.
    Muito obrigada!

  5. Wesleyhawer 17/01/2018

    obrigado por esta frase: ” Tudo que o leitor quer é uma experiência de leitura que recompense seu tempo. Não existe experiência de leitura em uma ideia.”

  6. Luiz Antonio Magalhães 09/11/2018

    Cada vez que leio seus textos, aprendo mais. Desperta-me a vontade de escrever sempre mais, mais e mais. Muito obrigado. Por favor, não pare. Continue a ensinar-me sempre mais. Ainda engatinho na forma de escrever. Pretendo aprender através dos seus ensinamentos.

Add comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Copyright 2010-2018 Diego Schutt - Todos os Direitos Reservados | Ficção em Tópicos