Aprenda a criar realidades com palavras

Como escrever comédias

Por Diego Schutt em 20/10/2016 Tópicos: dicas, escrever, escrita criativa
1
10

Neste vídeo divertido do TED-Ed, Cheri Steinkellner apresenta alguns dos princípios fundamentais de comédias e dá algumas dicas sobre como escrever textos engraçados. Abaixo, minha tradução livre do conteúdo do vídeo, que tem áudio original em inglês.

Você já percebeu quantas piadas começa com “Você já percebeu…”. Existe muito humor em simplesmente reparar no que é ordinário, no que você não costuma prestar atenção. Então, se você quer colocar mais humor em sua história, palestra, roteiro ou texto, eis algumas dicas e truques para encontrar o lado engraçado de uma situação.

Todas as grandes histórias, incluindo as comédias, consistem de alguns ingredientes básicos: quem, o que, quando, onde, porque, como. Escritores vêm se fazendo essas perguntas desde, pelo menos, o século um antes de Cristo. Mas nenhuma delas pode ser respondida com um simples sim ou não. Elas exigem detalhes. Quanto mais específicos os detalhes, mais engraçada é a história.

Vamos começar com o “quem”, o personagem cômico. Pense nos programas de tv, livros e filmes que fazem você rir. Eles são, geralmente, recheados de tipos engraçados ou o que chamamos de arquétipos. O sabe-tudo, o fracassado adorável, o chefe malvado, o neurótico, o cabeça de vento. A propósito, todos esses personagens são estereótipos encontrados na “Commedia Dell’Arte”, que surgiu no final do Renascimento italiano, e eles ainda não se tornaram obsoletos.

A regra da “Commedia Dell’Arte” para criar personagens cômicos é encontrar o defeito do personagem e o exagerar. Ou você pode tentar brincar com opostos. Por exemplo, quando o cara mais inteligente na sala faz a coisa mais estúpida, ou o imbecil engana o gênio, costumamos rir porque não esperávamos que isso fosse acontecer.

Aristóteles disse que o segredo do humor é surpresa.

A surpresa, ou teoria da incongruência do humor, diz que rimos do que nos parece fora do lugar ou vai de encontro as nossas expectativas, como, por exemplo, um sapo namorando uma porca, ou um lagarto vendendo seguro de vida, um nenê fazendo passinhos de dança, uma freira fazendo passinhos de dança, um gato fazendo passinhos de dança. Na verdade, um neném, uma freira ou um gato fazendo basicamente qualquer coisa, especialmente envolvendo passinhos de dança.

Um jeito divertido de encontrar incongruências é estabelecendo conexões, ou melhor, criando mapas mentais. Comece de uma forma simples. Escolha uma palavra, como por exemplo, picles. Escreva ela no papel e, na sequência, tente fazer conexões a essa palavra, o mais rápido possível. O que picles me faz pensar? Quem come picles? Que memórias com picles tenho da minha infância?

Outra forma produtiva de gerar material engraçado é trocar observação por imaginação.

Experimente parar de pensar nas coisas como elas são e comece a imaginar como elas seriam em outras circunstâncias. Por exemplo, como seria se você substituísse cavalos por coelhos? Vamos pensar em momentos memoráveis da história, da literatura e do cinema. Como seriam esses momentos se as pessoas montassem em coelhos ao invés de cavalos? Deixe sua imaginação livre para criar ideias absurdas.

Ainda que uma ideia lhe pareça clichê, óbvia demais ou muito idiota, tente registrá-la mesmo assim. O que é obvio para você talvez não seja para outras pessoas. Além disso, o oposto de uma ideia idiota pode acabar sendo sua ideia mais inteligente.

E todas aquelas coisas idiotas que acontecem na vida real? Você já percebeu como comédia surge de coisas que nos irritam, nos frustram e nos humilham? Will Rodgers disse: “Tudo é engraçado, contanto que aconteça com os outros”. Então, se você está tendo uma manhã cheia de problemas, imagine que isso está acontecendo com um personagem que você está criando. À tarde, talvez você, pelo menos, tenha uma história engraçada sobre o que aconteceu.

Uma vez que você definir os personagens e a história, eis alguns truques de comédia rápidos e fáceis para torná-los engraçados.

Use a regra de três, também chamada de zig zig zag.

Tente criar um padrão inesperado – zig zig – e então quebre esse padrão – zag. Um rabino, um padre e um coelho entram em um bar. O segredo para fazer comédia é deixar a parte engraçada para o final. Um rabino, um padre e um coelho entram em uma discoteca. Isso nos leva à regra do C.  Por alguma razão, palavras que contém a letra C chamam nossa atenção e são consideradas cômicas. Coelho, discoteca, picles, cri-cri… Ok, nem sempre conseguimos provocar risadas.

Humor é subjetivo. Comédia é tentativa e erro. Escrever é reescrever. Continue tentando. Encontre os defeitos do personagem, foque nos detalhes, acrescente incongruências, incorpore sons de C e não se esqueça da regras mais importante para escrever comédia: divirta-se.

Como Charles Dickens disse, não há nada no mundo tão irresistivelmente contagioso quanto uma risada e bom humor.

 

Aprenda a plantar ideias e colher histórias.

O Jardineiro de Ideias é um curso/oficina ONLINE que ensina a escrever ficção de um jeito mais intuitivo, espontâneo e criativo. Inscrições abertas para a turma que começa 24/08. CLIQUE AQUI para saber mais.

Sobre o Autor

Diego SchuttLer todos os textos de Diego Schutt
Diego Schutt combina ideias de teoria literária, dramaturgia e psicologia social para ajudar escritores iniciantes e experientes a desenvolver textos com mais confiança, foco e impacto. Sua formação técnica em escrita criativa inclui cursos e oficinas no Brasil, Austrália, Suíça, Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra e Japão. Há 7 anos, ele escreve e edita o Ficção em Tópicos, o site mais completo sobre storytelling em Português.

Um escritor tem algo a dizer sobre este texto

  1. Maria Rabelo 06/12/2016

    O Ficção em Tópicos sempre nos apresenta bom material. Obrigada!

Gostou do texto? O autor vai adorar saber. Deixe um comentário e compartilhe o artigo com outros escritores.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Copyright 2010-2017 Diego Schutt - Todos os Direitos Reservados | Ficção em Tópicos ® é uma marca registrada