Aprenda a criar realidades com palavras

Dica 87: Torne a estrutura da história invisível.

Por Diego Schutt em 17/07/2012 Tópicos: dicas, técnicas
4
6

As primeiras páginas e capítulos da sua história ajudam o leitor a se familiarizar com o seu estilo de escrever, e estabelecem as “regras” do universo de ficção que você está criando. Quando você altera qualquer aspecto essencial na estrutura da narrativa (mudando o ponto de vista, o tom do narrador, o tempo narrativo, o foco principal do enredo), você coloca o leitor no mesmo estado de incerteza do início da leitura.

Isso tira o foco dos personagens, torna a estrutura da história visível, e desperta o instinto racional dos leitores em tentar compreender o porquê dessa mudança. Ao alterar as regras no meio do jogo, você abre uma janela para o leitor abandonar sua história.

Quando você considerar fazer uma mudança na estrutura da sua narrativa, pense em como isso poderá afetar a experiência de leitura. Comece se perguntando: Porque você quer introduzir essa mudança? Que diferença isso vai fazer em como o leitor vai receber a história? Avalie se essa alteração é realmente essencial para alcançar o efeito que você deseja.

Leia as dicas 1 à 50.

Leia as dicas 51 à 100.

Sobre o Autor

Diego SchuttLer todos os textos de Diego Schutt
Diego Schutt combina ideias de teoria literária, dramaturgia e psicologia social para ajudar escritores iniciantes e experientes a desenvolver textos com mais confiança, foco e impacto. Sua formação técnica em escrita criativa inclui cursos e oficinas no Brasil, Austrália, Suíça, Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra e Japão. Há 7 anos, ele escreve e edita o Ficção em Tópicos, o site mais completo sobre storytelling em Português.

4 escritores têm algo a dizer sobre este texto

  1. Gean Riwster 21/07/2012

    Caraca….
    Ah, antes de tudo, olá Diego.

    Eu fiz isso a um tempo, Mudei uma das estruturas básicas da história quando abri novos narradores, entretanto, na estrutura inicial eu havia colocado em primeira pessoa, e os outros em terceira.

    Agora, lendo o seu texto, acho que fiz uma besteira enorme. Bem, vou ver agora se não cometo mais o mesmo erro nos textos seguintes. Obrigado por mais esta dica, e até a próxima.

    Gean Riwster

  2. Oi Gean

    A ideia da estrutura é organizar a história de uma forma que permita ao leitor se concentrar no enredo. Usar dois pontos de vistas não é errado, contanto que você esteja fazendo isso de uma forma estruturada e com consciência da sua intenção. Obrigado pela leitura.

  3. Diego Vilsk 05/02/2015

    Olá a todos. Bom, eu discordo um pouco em relação a mudança. Eu escrevo na primeira pessoa nos primeiros 12 capítulos da história que estou desenvolvendo, porém, no capítulo 13, eu mudo para uma visão de outros personagens novos, e isso não causou espanto e abandono dos meus leitores. Uma leitora lá do Rio Grande do Sul (eu sou do estado de SP) me disse que achou o capítulo interessantíssimo e minha namorada disse que é o capítulo que mais tem suspense e é o capítulo em que eu amadureço como escritor. Enfim, o capítulo todo está bem misterioso mesmo e quando eu o reli após ela me dizer aquilo, percebi. E ficou realmente ótimo! Enfim, na minha visão, depende como o autor/escritor muda a estrutura narrativa. Do modo como eu faço, quando mudo para a terceira pessoa, não abandono a primeira pessoa. Eu deixo claramente explícito que quando ocorre essa mudança, é pelo simples motivo de que essa mudança ocorre pois o livro todo se passa na visão, no modo de ver do personagem principal. Seria como se ele tivesse escrito o livro. É um pouco confuso de entender quando escrevo aqui a explicação, mas quando a pessoa lê, não há nada de confuso. Torna-se uma coisa inovadora, já que estes personagens secundários (quase antagônicos) irão se encontrar e contracenar… É aí que o barato da coisa surge! Fica um estilo bastante cinematográfico, sabe?
    E o meu estilo de enredo é o estilo PULP FICTION (não o filme em, o gênero). Até mais, abraços !

  4. Author
    Diego Schutt 11/02/2015

    Diego, legal saber que a mudança de ponto de vista não influenciou negativamente a percepção dos leitores da sua história. Cada texto tem suas particularidades e necessidades. Talvez no contexto da sua história, faz sentido mostrar a visão de outro personagem sobre os acontecimentos e, mérito seu, você parece ter feito essa transição com competência. Como você disse, a mudança de ponto de vista é uma escolha do escritor. Contanto que ela seja uma escolha consciente e a experiência de leitura seja enriquecida, está valendo. Obrigado pelo comentário.

Gostou do texto? O autor vai adorar saber. Deixe um comentário e compartilhe o artigo com outros escritores.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Copyright 2010-2017 Diego Schutt - Todos os Direitos Reservados | Ficção em Tópicos