Aprenda a criar realidades com palavras

10 manias que impedem você de se tornar um ótimo escritor.

Por Diego Schutt em 07/05/2012 Tópicos: inspiração
19
52

Muitas vezes, a diferença entre um escritor bem sucedido e um escritor desconhecido não está na habilidade para escrever ou criar histórias originais, mas simplesmente na forma como um e outro encaram a vida. Conheça abaixo 10 manias que impedem você de se tornar um ótimo escritor.

1. Mania de querer estar sempre certo

Aprenda a escutar a opinião dos outros desarmado de suas defesas e sem medo de estar errado. Se reforçar o valor do seu ego é mais importante do que reforçar a qualidade dos seus textos, escrever nunca passará de um passatempo para você.

2. Mania de tentar controlar tudo

Desista de tentar racionalizar todos os detalhes dos seus textos. Permita que seus impulsos criativos se manifestem sem serem julgados apenas com parâmetros lógicos. Relaxe e deixe suas ideias se desenvolverem espontaneamente.

3. Mania de culpar os outros

Se você já mostrou seus textos para diversas pessoas e ninguém mostrou muito entusiasmo por eles, pare de pensar que o problema é a falta de sensibilidade dos outros em ver a beleza da sua prosa nas entrelinhas. Descubra onde você precisa melhorar.

4. Mania de se colocar para baixo

Seu pessimismo e negativismo não vão ajudar você em nada. Pare de se concentrar no que você considera seus defeitos, e comece a pensar nas qualidades que você precisa desenvolver para escrever os textos que deseja. A mente é sua. Use-a em seu favor.

5. Mania de limitar suas ambições

Não pense no quão difícil será se tornar um escritor profissional. Não limite seus objetivos baseado nas habilidades que você tem hoje. Não pense no que você consegue e não consegue fazer, no que é possível e impossível. Decida o que você quer e crie um plano para chegar lá.

6. Mania de inventar desculpas

Não tenho tempo, não sei por onde começar, não sei se minhas ideias são boas, não sei se vai dar tempo de escrever hoje, não sei se alguém vai gostar das minhas histórias. Acredite. Ninguém sabe de nada disso. Então pare de reclamar e comece a escrever.

7. Mania de criticar os outros

É fácil sair apontando o dedo para outros escritores e dizer que seus textos são ruins ou pouco originais. Muita gente adora encontrar defeito no trabalho dos outros para afagar o seu ego e se sentir superior. Suas críticas são sintomas do quão duro e ríspido você é com você mesmo. Relaxe e se permita errar. Você não é perfeito.

8. Mania de querer impressionar os outros

Pare de escrever textos para que outras pessoas gostem de você. Escreva para provocar reações, criar polêmica, gerar desconforto e, principalmente, para expressar a forma única e particular como você enxerga e interpreta o mundo. Você vai ganhar muito mais leitores se posicionando claramente sobre um assunto do que tentando amaciar suas opiniões para agradar mais pessoas.

9. Mania de rotular o que você não conhece

Você perde a possibilidade de descobrir novas pessoas, experiências e lugares se você os categoriza com rótulos. Abra a sua mente. “A maior prova de ignorância é quando você rejeita alguma coisa que você não sabe nada a respeito.” Wayne Dyer

10. Mania de se deixar levar pelos seus medos

É comum sentir-se paralisado e deixar que certos medos atrapalhem ou interrompam seu processo de criação. Aprenda a reconhecer os disfarces que seus medos vestem para tentar impedir que você escreva.

E você? Tem alguma outra mania que atrapalha ou desmotiva você de escrever? Deixe um comentário.

Sobre o Autor

Diego SchuttLer todos os textos de Diego Schutt
Diego Schutt combina ideias de teoria literária, dramaturgia e psicologia social para ajudar escritores iniciantes e experientes a desenvolver textos com mais confiança, foco e impacto. Sua formação técnica em escrita criativa inclui cursos e oficinas no Brasil, Austrália, Suíça, Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra e Japão. Há 7 anos, ele escreve e edita o Ficção em Tópicos, o site mais completo sobre storytelling em Português.

19 escritores têm algo a dizer sobre este texto

  1. ANDRÉ CAMARGO 07/05/2012

    Parabéns pelo seu trabalho, Diego! Muito bacana.

  2. Diego 08/05/2012

    Obrigado pela mensagem e pela leitura, André.

  3. Gean Riwster 10/05/2012

    Parece até que escreveu o texto inspirando-se em mim Diego! kkkkkk
    Ótimo texto cara. Ainda lí o link do medo e me identifico com o Medo de rejeição,Medo de fracassar,Medo de ser medíocre, Medo de arriscas e, se caso conseguisse ser famoso por meus textos, Medo do sucesso.

    Bem, mas no fim das contas, o seu texto só fortificou minhas opiniões anteriores, pois vários músicos, e até mesmo escritores como Stephen King, Rick Riordan e acredito que também George R. R. Martin… todos eles tiveram seus primeiros livros dispensados pela editoras que foi enviado o manuscrito. E depois todos fizeram sucesso no mundo todo pois continuaram insistindo. Mesmo isto reafirmando minhas convicções, eu ainda consigo ser negativista, pessimista, pois todos os dias enfrento uma página em branco no Notebook e um “Deixa pra amanhã” chega na minha cabeça. É como se minha razão/intelecto gritasse para eu fazer, e a minha parte criacionista/imaginação gritasse para deixar para depois. Daí me vem a frase: “A imaginação sempre ganha da razão”,algo do gênero, que Albert Einstein disse.

    Seus textos me motivam a insistir, mesmo com as dificuldades e os medos. Vamos ver se tenho coragem de enfrentá-los… 😉

    Vlw

    Gean Riwster

  4. Diego 11/05/2012

    Legal saber que meus textos motivam você a não desistir, Gean. Pelos seus comentários, percebo o seu entusiasmo em enfrentar todos os obstáculos que se apresentam na sua frente, o seu esforço constante em entender o que se passa na sua cabeça, e a sua humildade em assumir seus medos e dificuldades. Você está no caminho certo. Sempre em frente. Obrigado pela leitura. 🙂

  5. Naty 29/05/2012

    Estou tão encantada pelos textos, me identifiquei muito. Eu tenho um pouquinho de cada um dos problemas citados. O que me atrapalha muito mesmo é o gênero de ficção pesada que eu escrevo, terror e suspense, até agora ninguém leu. Todo mundo sabe que eu escrevo mas os olhares são bastante preconceituosos quando eu falo “Ficção baseada em lendas locais, resumindo, terror”. Rsrsrs
    Eu adquiri livros e livros, A la James Wood e James Koch, que acabou transformando horas e horas de inspiração em horas e horas de exigência e perfeição. É difícil não perder a alma de escritor imerso em técnicas.

  6. Naty 29/05/2012

    Corrigindo meu comentário anterior… é Stephen Koch, não James Koch.

  7. Diego 30/05/2012

    Oi Naty.
    Eu vejo as técnicas mais como recursos para ajudar escritores que estão com dificuldade de progredir, ou não estão satisfeitos com as suas histórias, mas não sabem ao certo o que fazer para melhorá-las. Teorias ajudam a gente a entender melhor os elementos básicos das histórias de ficção. Não se tratam de fórmulas ou receitas, mas sim de estruturas clássicas que permitem ao escritor organizar a narrativa, permitindo que a alma da história ganhe vida.

  8. V Rondon 07/02/2013

    Ótimas dicas. Parabéns!

  9. Daniel Rocha 12/02/2013

    Oi, Diego. Eu ia dormir cedo hoje, mas comecei a ver teu site de novo, e lá estou eu na madrugada, de novo te lendo e escrevendo. 🙂

    Gostei especialmente da mania de limitar as ambições (sempre que leio um texto realmente bem escrito penso que jamais serei capaz de escrever algo tão bom, mas pensando bem… por que não?) e da mania de inventar desculpas (agora já está tarde, hoje não dá tempo, tenho que levantar cedo amanhã, etc. Já estou há um tempão aqui, poderia estar escrevendo neste exato momento, não é mesmo? 🙂

    Ah, também gostei da mania de querer agradar os outros. Muitas vezes, antigamente e até hoje, sou julgado pelo que escrevo, algumas pessoas chegam a ficar indignadas com alguns escritos. Mas acho que isso é bom, porque de alguma forma o texto as tocou, provocou alguma reação. Além do mais, se até Shakespeare foi criticado em seu tempo, o que sobra para nós? 🙂

    Abraços e parabéns pelo texto!

  10. Duilio Web 29/08/2013

    O meu caso é o medo. A mais de 8 anos planejo escrever, mas o medo de errar é terrível! Tenho 3 histórias, cada uma um livro, e não tenho coragem de sentar no computador para escrever. Outro fator é disciplina, é preciso ter disciplina, no meu caso é algo que não tenho. Já li vários livros abordando o tema Escrever Um Livro, mesmo assim o medo de errar o português, críticas e negação de editoras é maior, quem sabe um dia eu quebro tudo isso e escrevo.

  11. Amanda Marinho 12/04/2014

    Ótimas dicas! É impressionante a maneira que me identifico com seus textos. Algumas dessas manias estão presentes no meu dia a dia, mas só quando você as expôs pude reconhece-las como tais. Adoro o seu site.
    Parabéns!

  12. Gustavo 29/07/2014

    Realmente, tenho problemas com os itens 2, 5 e 8.
    Mas Pretendo mudar.
    Muito bom o Post.
    Valeu!

  13. Andréa Biancovilli 02/09/2014

    Olá, tenho a “mania” de não terminar a história, qualquer que seja, nunca acho que o desfecho ficou adequado, ou original. É uma mania triste 🙂

  14. Patrick Machado da Rosa 02/11/2014

    1 e 2 é pro meu amigo, vou mostrar segunda-feira pra ele.
    É. O meu é o 4 eu sou muito depressivo (nao no sentido clínico) e até um tempo atrás o 8, mas eu sou obrigado a matar pessoas, claro nao sou eu, mas os personagens que criei, mesmo assim, sangue escorrendo pelas espadas dos guerreiros, pelas garras e dentes dos Anymânis, amores entre quatro paredes (ou mato, rsrs) bem, algumas vezes me perguntava se iriam agradar os leitores, mas daí pensei em algo.” Pessoas no mundo inteiro passam fome, elas gostam? Nao. Mas mesmo assim existe. Assassinos em série acabam com varias famílias, estas tais familias e envolvidos gostam? Tambem nao. Estes nao vao pra Deus e o obrigam que faça que nao exista mais este tipo de coisa. Existe e ponto final.
    Nao sei se o senhor me entendeu. Mas ta aê, rsrs.
    E continuo dizendo, o senhro está fazendo um ótimo trabalho. Parabéns Diego

  15. Amanda 08/01/2015

    Olá Diego. Tenho 17 anos, planejo fazer faculdade de Letras e estou absolutamente encantada com seus textos. Queria dizer que eles estão me ajudando muito a enfrentar meus problemas para terminar um projeto. Eu escrevo desde os 8 anos de idade, mas só entreguei algo para alguém ler aos 13. Desde então costumo atender pedidos de amigos para escrever determinadas histórias, e mesmo eles me elogiando e me apoiando muito sempre me senti insegura com o que escrevo, a ponto de uma vez ter reescrito um livro de 120 páginas duas vezes (perfeccionismo ao extremo rsrs). Gostaria que soubesse que isso está mudando graças as suas dicas. Obrigada por tudo ????

  16. Author
    Diego Schutt 12/01/2015

    Amanda, fico muito feliz que você esteja gostando dos textos do site. Acredito que todo escritor se sente inseguro com o que escreve. A confiança vem da prática constante e do conhecimento dos princípios fundamentais de histórias de ficção envolventes. É para isso que o Ficção em Tópicos está aqui. 🙂 Obrigado pelo comentário e boa sorte na faculdade.

    sds
    Diego

  17. Daniel Rocha 13/01/2015

    Oi, Diego.

    Que legal reler isso aqui, depois de tanto tempo. Comecei a escrever uma história, que nem história era, no Nanowrimo de novembro de 2013, inspirado também em ti, que venceu o desafio, e estou escrevendo essa história (um romance, chamado Piano Para Pequena Clara) até hoje, e publicando os capítulos no meu blog e na fanpage do Distantes Trovões. A história já está com 158 capítulos e quase 300 páginas. E, pensando agora, tudo começou aqui, lendo teus textos, querendo escrever, mesmo sem saber o que, e seguindo em frente com a ideia do Nanowrimo. Na verdade, até hoje quando começo a escrever os capítulos não sei o que virá a seguir… e alguma coisa acontece e o texto acaba escrevendo a si mesmo. Tudo que preciso fazer é começar. Então te escrevi para agradecer, pelas tuas palavras e teu site inspirador. Seguimos na luta.

    Grande abraço,

    Daniel Rocha

    PS – Ah, vê se manda um pouco do frio aqui para os teus conterrâneos, que estamos amargando nesse calor…:)

  18. Author
    Diego Schutt 14/01/2015

    Daniel, saber que o Ficção em Tópicos, de alguma forma, inspirou você escrever sua história me deixa extremamente feliz. Siga em frente, me amigo. Um passo de cada vez. Um grande abraço

  19. João Vitor 24/03/2015

    Nossa, você esta de parabéns pelo site, eu acho inacreditável que pessoas como você sendo tão altruísta , passa tempo tentando ajudar as outras pessoas, principalmente com sua escrita, o que na minha opinião, é algo muito importante. Acho que meu medo esta no 10, logo espero conseguir resolve-lo e queria poder algum dia fazer tantos cursos de escrita criativa internacionalmente como você, meu sonho um dia ter essa oportunidade. Quero ser escritor, roteirista, e tudo que uma folha em branco possa me oferecer. de novo cara… Parabéns pelo site, estava procurando um site assim. 🙂

Gostou do texto? O autor vai adorar saber. Deixe um comentário e compartilhe o artigo com outros escritores.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Copyright 2010-2017 Diego Schutt - Todos os Direitos Reservados | Ficção em Tópicos ® é uma marca registrada