Aprenda a criar realidades com palavras

6 práticas simples que diferenciam escritores amadores e profissionais.

Por Diego Schutt em 02/03/2012 Tópicos: inspiração
23
11

“Aprenda a contar o máximo com o mínimo de palavras.”

Essa é uma das lições que Alice vieira aprendeu na sua carreira como jornalista. A escritora portuguesa acredita que sua profissão teve grande influência na forma como ela constrói suas histórias de ficção.

No vídeo abaixo, ela fala da sua visão sobre escrita criativa e dá várias dicas práticas para quem está começando. Abaixo, destaco as minhas favoritas:

1. Não use grandes temas como amizade, solidão e amor como ponto de partida para escrever uma história. Comece descrevendo acontecimentos concretos, como algo curioso que aconteceu com você, um detalhe de uma pessoa que você viu na rua, uma notícia de jornal surpreendente. Se você souber desenvolver bem a narrativa, ela resultará em uma história sobre um daqueles grandes temas.

2. Escreva muito, mas sem pensar em publicar. “Nós temos que crescer, temos que viver, temos que aprender, e essas coisas não se fazem rapidamente.”

3. Resista a tentação de querer terminar seus textos rapidamente. Por terem pressa para acabar uma história, muitos escritores aceitam as primeiras ideias que lhes vem à cabeça. Escrever é um exercício de paciência e dedicação.

4. “Escrevam muito, mas apaguem muito também.” Se você escrever trinta páginas e apenas uma delas estiver bem escrita, considere isso uma sessão produtiva.

5. Nas suas descrições, procure utilizar linguagem concreta. Use só os adjetivos que forem necessários. Quanto melhor você escolher verbos e substantivos, menos adjetivos serão necessários para ilustrar as ideias e sensações que você quer transmitir ao seu leitor.

6. Se você pode contar uma história em 20 palavras, não a prolongue por 20 páginas. “Nas coisas mais pequenas, nas frases mais concisas, nós provocamos muito mais a emoção do que em grandes tratados.”

Assista ao vídeo abaixo.

Sobre o Autor

Diego SchuttLer todos os textos de Diego Schutt
Diego Schutt combina ideias de teoria literária, dramaturgia e psicologia social para ajudar escritores iniciantes e experientes a desenvolver textos com mais propósito, foco e impacto. Sua formação técnica em escrita criativa inclui cursos e oficinas no Brasil, Austrália, Suíça, Estados Unidos, Inglaterra e Japão. Há 6 anos, ele escreve e edita o Ficção em Tópicos, o site mais completo sobre storytelling em Português.

23 escritores têm algo a dizer sobre este texto

  1. Estefania Cristina 15/03/2012

    Nossa eu adorei essas dicas, meu grande problema e querer fazer tudo rapido sendo que tudo leva tempo.
    Mas, eu estou com um problema, estou com medo dos erros gramaticais. Medo de escrever errado, ou de não conseguir colocar para fora ideias presa na minha mente.
    Parabens pelo site estou gostando muito de poder contar com as dicas dele.

  2. Diego 15/03/2012

    Oi Estefania

    Legal que você gostou das dicas.

    Não se deixe inibir pelo medo de cometer erros gramaticais. Preocupe-se, primeiramente, em deixar seus pensamentos fluírem para a página em branco, sem preocupação com o resultado final. Não importa se as frases não fazem muito sentido ou se a grafia das palavras está incorreta.

    Em um segundo momento, você relê o que escreveu, procurando corrigir os erros e clarificar as frases que não fazem sentido.

    Como você mesma percebeu, escrever histórias de ficção não é uma atividade para os apressados. 😉 O processo exige paciência e dedicação, mas é muito recompensador no final.

    Espero que o Ficção em tópicos ajude você a escrever suas histórias.

    att
    Diego

  3. Gean Riwster 20/03/2012

    Ótimas dicas.
    Os meus maiores defeitos estão no oposto da dica três e seis.A terceira porque sempre quero algo imediatamente.Eu tenho paciência nas minhas observações e reflexões,entretanto,na hora da escrita eu não chego a pensar duas vezes no que escrevo,ou até mesmo em parar,na verdade escrevo meio que “Bêbado”,e pior,demoro muito na revisão dos textos,o que acaba tirando-me a minha admiração incial pelos textos por tanto reler,e até mesmo me deseanimando por estar estagnado.E a sexta dica,é outro defeito.Uma emoção que se poderia dizer em uma frase,eu acabo complicando as coisas e prolongando,utilizando um parágrafo para descrevê-la.Como:

    “Eu sentia medo na floresta silenciosa e escura”

    Alongo SOMENTE o medo para:

    “Você está perdido em um buraco de finito metros de profundidade,e não consegue ver ninguém além do vácuo.E cai,retalha suas unhas nas paredes de terra e definha a cada fisgar em sua garganta,em cada morrer do seu coração quando você tenta mas não consegue chorar.Nos momentos intensos,respira em curtos períodos ou prendi sua respiração para não emitir nenhum ruído.Em um instante percebe-se você e o mundo chocar-se – Você é a pequena luz borrada no Mundo de neve,ermo,apunhalando-se com o seu grito azul e amargo.A agonia.Seus olhos ficam mais vivos do que nunca,e seu corpo derrama lágrimas geladas em sua testa,sucumbindo vagarosamente no seu corpo.Está frio.A paranóia apodera-se de sua alma,e começa a lhe contaminar com o seu vírus,e há uma lise de sua pele,de seu bom senso,de sua coragem.Você está morrendo por dentro e não pode fazer exatamente nada para se salvar.Isto é o medo,e era o que sentia naquele momento.”

    Tudo levo em consideração o meu escritor favorito,o George R. R. Martin,escritor de “As Crônicas de Gelo e Fogo”.Ele detalha bastante,mas de uma forma tão original,que nem percebemos o exagero.Ao menos na minha opinião.
    Vou ver o que faço para melhorar este meu lado.
    Obrigado pelo blog,está me ajudando bastante em meu desenvolvimento como escritor 😉

  4. Diego 22/03/2012

    Oi Gean

    Ao escrever um primeiro rascunho, eu acredito ser importante deixar as ideias fluírem sem interrupções. Nossos instintos criativos conseguem escrever coisas que nossa racionalidade nunca conseguiria. Muitas ideias originais surgem assim.

    Como você mesmo apontou, o grande trabalho está na revisão e edição da história, e inevitavelmente você precisa de paciência. Entendo bem e me identifico com o desânimo que você sente quando um texto requer muito tempo para ficar pronto. Aos poucos, essa ansiedade passa e você começa a respeitar o tempo que cada história leva para amadurecer.

    Em relação à dica da escrita em não prolongar suas descrições, é preciso ter cuidado. Existe uma grande diferença entre os dois exemplos que você escreveu. Essa diferença está na sua intenção, no seu objetivo para esse trecho da história. Se você não quer explorar a psicologia do personagem porque prefere focar nos acontecimentos do enredo, a primeira descrição (curta) é mais adequada. Se você considera importante para a história que o leitor tenha uma compreensão mais profunda sobre o que o personagem está sentindo, a segunda descrição (longa) se faz necessária.

    O que a escritora quis ressaltar com essa dica é que você não use palavras desnecessárias, independentemente se você for escrever uma frase ou um parágrafo inteiro. E como saber o que é desnecessário? Frases vagas, ideias repetidas, clichês, expressões que não acrescentam nada à história ou a um melhor entendimento dos personagens. Faz sentido?

    Obrigado pelo seu comentário. Fico feliz em saber que o site está te ajudando.

    sds
    Diego

  5. Laís 29/03/2012

    Olá, confesso que acompanho esse site a algum tempo, mas só agora vou deixar um comentário. Queria dizer que tem me ajudado muito com minha história, as dicas são ótimas e sempre me inspiram a melhorar.
    Já vi muitas dicas como a desse post sobre escrever de forma mais resumida, mas eu costumo ter um problema que é o contrário, escrevo com poucas palavras, mas quando vou revisar fico sempre com a impressão que está faltando algo e vou aumentando o texto aos poucos. Então fico na dúvida se devo ou não fazer isso.
    Bem, parabéns por tudo e obrigada pela ajuda!

  6. Diego 29/03/2012

    Oi Laís

    Fico muito satisfeito quando um dos meus leitores “anônimos” decide deixar um comentário. 🙂
    Fico feliz em saber que as dicas estão ajudando você a escrever a sua história.

    Cada escritor tem seu próprio processo. Alguns colocam todas as suas ideias de uma vez na página em branco e depois editam, cortando as partes repetitivas e desnecessárias. Outros preferem primeiro colocar as ideias principais da sua história em sequência para depois, aos poucos, expandirem a narrativa, adicionando detalhes e desenvolvendo cada cena.

    Não existe certo ou errado. Eu sugiro que você experimente escrever das duas formas e veja o que funciona melhor para você. Eu, por exemplo, dependendo do tipo de texto, vario entre uma técnica e outra.

    Obrigado pela leitura.

    sds
    Diego

  7. Sandra 16/04/2012

    Oi Diego, escrevo a um tempo como passatempo, sabe uma forma de mudar o foco da correria. As dicas são muito importantes porque, apesar de não ter pretenção alguma de publicar minhas histórias, gosto de pensar que posso melhorar. Tinha o hábito de ler romances estrangeiros e um dia quis ler algo ambientado na cidade onde moro e meu passatempo preferido começou.
    Nunca deixei ninguém ler, as vezes até gostaria que alguém desce uma olhada por curiosidade… só pra saber se levo jeito pra coisa. Sabe como é… todo mundo tem um pouquinho de vaidade.
    Valeu as dicas.
    Abração!

  8. Diego 16/04/2012

    Oi Sandra

    Legal que você gostou das dicas. Eu acredito que elas são válidas tanto para quem escreve histórias com a intenção de publicar, quanto para quem apenas gosta de brincar com as palavras. 😉

    Se quiser me enviar um trecho de algum texto que você escreveu, vai ser um prazer dividir minhas percepções com você.

    Obrigado pela mensagem e pela leitura.

    abs
    Diego

  9. Naty 29/05/2012

    Parabéns, é a primeira vez que eu entrei em um site que dá dicas para escritores amadores e não fiquei apavorada com o conteúdo. Os blogs e sites que “ajudam” escritores amadores estão um tanto pessimistas – ou realistas – e cheios de armadilhas para quem quer escrever.
    Gostei principalmente da parte que fala da paciência, e eu tenho muita, afinal estou há dois anos desenvolvendo a mesma trama, e ainda sinto que não está pronta. Mas meu principal problema são os detestáveis adjetivos. Não consigo me livrar deles, é meu vício, e as vezes perco o controle e quando vou fazer uma revisão vou excluindo, excluindo, até chegar ao final, reler tudo e achar o texto meio sem alma. Rsrs
    Complicado, mas escrever é mais bonita das paixões, então, acho que qualquer linha, mesmo que seja apagada no final, vale a pena.

  10. Diego 30/05/2012

    Oi Naty.
    Que legal que você curtiu os textos dos Ficção em tópicos. A ideia do site é, justamente, ajudar novos escritores a escrever suas histórias usando técnicas simples, mas eficazes.
    Que outros sites você consultou?
    Obrigado pela leitura e pela sua mensagem.
    sds
    Diego

  11. Anderson M. Santos 01/11/2012

    Olá Diego! É a primeira vez que entro neste blog. Muito boas as dicas. Estou criando uma ficção, as personagens já estão todas criadas, mas o desenvolvimento da história anda meio parado. Ter a idéia é fácil, agora colocar no papel é difícil. O que você me aconselha a fazer? Tenho toda a história na cabeça mais quero escrever de forma cativante.

  12. Oi Anderson
    Bem-vindo. Legal que você gostou das dicas.
    Se você já tem os personagens da sua história criados, decida quem é o protagonista da história e procure pelo conflito central da narrativa. Este artigo sobre conflito (http://ficcao.emtopicos.com/estrutura/conflito/) e este sobre cenas (http://ficcao.emtopicos.com/estrutura/escrever-cenas-historias-ficcao/) vão ajudar você a entender melhor como estruturar a sua história. Espero que ajude.
    Obrigado pela leitura e pela mensagem.
    abs
    Diego

  13. Mariana 14/01/2013

    Olá!
    Também é a minha primeira vez aqui… Estou com uma história finalizada, mas, como é a minha primeira, eu não acho que ela está do jeito que eu pretendia. Coloquei tudo que eu sentia para fora, por isso acho que talvez ela seja um pouco emocional demais. Estou trabalhando em duas, já tenho toda a história na cabeça, uma está no início ainda, a outra já tem 50 e poucas páginas. O meu grande problema é o tempo. Só consigo escrever no domingo e olhe lá! Mas eu gostei muito das dicas daqui… Sempre procuro me aprimorar na escrita, é o que mais gosto de fazer na vida…
    Obrigada pelas dicas!
    Abraço.

  14. Diego Schutt 16/01/2013

    Oi Mariana

    Esta é a melhor maneira de iniciar: colocando tudo que você sente para fora, escrevendo com sua emoção. Depois, você revisa e edita a história, procurando equilibrar esse excesso de emoção com uma visão mais racional sobre a estrutura da narrativa.

    Siga praticando, mesmo que só um pouquinho por dia. Faz toda a diferença.

    Obrigado pela leitura e pelo comentário.

    abs
    Diego

  15. Militão 22/01/2013

    Olá sou o Militão gosto muito de escrever não consigo ficar muito tempo sem o caderno.
    Essas dicas foram muito útil para mim, porque o meu maior problema é: Sempre que quero escrever uma história tenho muitos problemas em desenvolver principalmente na organização as vezes escrevo um texto depois de terminar procuro um tema mais não me convence porque?

  16. Diego Schutt 22/01/2013

    Oi Militão

    Não entendi a sua pergunta. Você pode clarificar?

  17. Daniel Rocha 12/02/2013

    Oi, Diego, tudo certo?

    Acho que este post é meio antigo, mas só agora o descobri. Gostei principalmente de:

    “Escrever é um exercício de paciência e dedicação”.

    E muita perseverança. Fiquei um tempinho sem escrever regularmente, e dizem que é que nem tocar um instrumento musical: um dia longe dele, e a gente já começa a enferrujar. Obrigado por mais este belo post.

    Um abraço aqui dos pampas..:)

  18. Daniel Rocha 12/02/2013

    Ah, muito legal o novo visual do site. Novo ano, novos começos…:)

  19. bruna souza 21/09/2013

    Olá. Descobri esse site por acaso na internet e gostei muito das dicas. Em certos pontos me identifiquei. Estou escrevendo minha segunda história, e a primeira eu acabei em dois meses. Mas, mesmo assim ainda não consigo dizer que está totalmente pronta. Falta alguma coisa…
    Eu escrevi ela mais por diversão e quando eu vi que realmente tinha ficado boa resolvi desenvolver melhor ela na parte de edição. A edição foi -esta sendo – mais demorada e nela eu acrescentei e tirei certas coisas que achava desnecessárias. A história é muito dramática e esse é o meu medo: drama demais. Escrevi ela de coração e o personagem principal é parecido comigo em muitos aspectos.
    Sou acostumada a ouvir bastante música e isso me motivou. Mas, eu ainda não acho que a história está pronta. Outro medo: é pequena demais e tem apenas 34 folhas.
    Eu continuo editando mas tenho medo te fugir um pouco e perder o foco principal – já que eu edito aos poucos e em dias diferentes.
    Esses são os meus problemas – você pode me dar algumas dicas?
    Bjs / Adorei o site

  20. helio 08/10/2013

    Com essas dicas, consegui diminuir o tamanho de minha ansiedade na hora de escrever. Muito bom.

  21. aliscia 24/04/2014

    ola eu estou so começando a escrever sou uma adolescente ainda so tenho 15 anos mas gosto muito de escrever.
    so consigo escrever de noite quando tenho silencia aqui em casa mas esse nao é o problema tenho medo de falar para as pessoas que quero ser escritora e elas da risada de mim afinal nao conheço pessoalmente ninguem que goste mesmo de livros por isso so mostro pro meu namo (ele nao gosta de livros mas se esforça p ler oq escrevo) e um amigo meu da net q adora ler. adorei as dicas e o site tambem, se puderem dar uma olhada na minha pagina no facebook https://www.facebook.com/pages/Pensamentos-de-uma-Leitora-em-Crise/645526562149222 agradeço muito é sobre livros. boa noite.

  22. Daniel Rocha 26/04/2014

    Que legal esse teu comentário, Aliscia. Até deixei um recado na tua página. Continua escrevendo e esqueça quem não entende a importância que tu dá para a literatura. Mesmo que demore, tu vai encontrar os teus iguais. Aliás, estou publicando uma novela no meu blog, que comecei a escrever no desafio literário do Nanowrimo ano passado, graças também às dicas deste site (obrigado, Diego! 🙂 Se quiser, aparece.

    E toca ficha, guria. Abraços e persevera!

  23. Neiva Meriele 11/07/2015

    Amei a matéria.Até compartilhei na minha timeline.
    Eu comecei a escrever muito nova e escrevia muito, mas por puro instinto. Hoje, com dois livros publicados, sinto que a responsabilidade aumentou muitíssimo, por isso procuro me aprimorar diariamente lendo tudo o que encontro sobre escrita criativa. Meu agente é “o cara” então, tudo o que o Pedro posta e indica, eu devoro rsrs

    Acho que aprender nunca é demais, porém, a dica que mais gostei aqui e com a qual me identifiquei foi a 6ª. Ultimamente tenho lido tantos livros (romances) com 300, 400 páginas que acabam se tornando um tédio total e que poderiam ter sido legais se o autor tivesse ido direto ao ponto.

    Adorei a matéria. Obrigada por compartilhar conosco, Diego. Sou sua fã 😀

Gostou do texto? O autor vai adorar saber. Deixe um comentário e compartilhe o artigo com outros escritores.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Copyright 2010-2017 Diego Schutt - Todos os Direitos Reservados | Ficção em Tópicos ® é uma marca registrada