Aprenda a criar realidades com palavras

Dica 53: Defina o conflito central da história.

Por Diego Schutt em 18/03/2011 Tópicos: dicas
4
22

Diante de um conflito, podemos não agir e simplesmente aceitar as consequências dessa decisão, ou podemos fazer o que for preciso para resolver esse problema, enfrentando quaisquer obstáculos que aparecerem ao longo do caminho. Ao assumir responsabilidade e lutar para alcançar o que deseja, você sempre sai transformado e enriquecido pela experiência.

Esse mesmo raciocínio se aplica aos personagens que você cria. Conflito é o eixo central de toda a história porque abre espaço para transformação. E é exatamente isso o que buscamos em narrativas de ficção: uma oportunidade para repensar e, possivelmente, mudar nossa visão sobre o mundo e sobre nós mesmos.

Defina o conflito central da sua história com base no desejo do protagonista despertado por um conflito que se impôs em sua vida. Desenvolva o enredo pensando nos obstáculos que ele encontrará ao longo do caminho para alcançar o que deseja.

Leia as dicas 1 à 50.

Leia as dicas 51 à 100.

Sobre o Autor

Diego SchuttLer todos os textos de Diego Schutt
Diego Schutt combina ideias de teoria literária, dramaturgia e psicologia social para ajudar escritores iniciantes e experientes a desenvolver textos com mais confiança, foco e impacto. Sua formação técnica em escrita criativa inclui cursos e oficinas no Brasil, Austrália, Suíça, Estados Unidos, Inglaterra e Japão. Há 7 anos, ele escreve e edita o Ficção em Tópicos, o site mais completo sobre storytelling em Português.

4 escritores têm algo a dizer sobre este texto

  1. jr lobato 21/02/2012

    Estou muito feliz por ter encontrado voces com um melhor entenddimento sobre algumas tecnicas de escrever vou melhorar muito mais .valeu FICÇAO EM TOPICOS

  2. Diego 21/02/2012

    Legal Lobato. Obrigado pela sua mensagem! Fico feliz que você tenha gostado dos textos. Como foi que você encontrou o Ficção em tópicos?

  3. Gean Riwster 10/05/2012

    “Eu tenho sido bem sucedido provavelmente porque eu sempre tive consciência de que não sabia nada sobre [a arte de] escrever e eu meramente tentei entreter contando uma história interessante.” — Edgar Rice Burroughs

    Irônico não é?
    Pois é. Mas tem lógica. Ultimamente, as vezes, ao menos comigo, escrever é algo apavorante que precisa de palavras fortes, poderosas, “que não vão só instruir seu leitor, mas sentir”. Mas depois que ví esta frase, eu tenho que dizer que fiquei confuso, entretanto, deixar de pensar em cada parágrafo que será odiado no dia posterior, é gratificante, e aliás, se achar só um cara escrevendo historias interessantes para você mesmo, deixa as coisas tão mais… fáceis.

    Eu e minha péssima mania de complicar as coisas.

    E sobre o potencial,odeio os textos não por algum impacto que este causou em mim. E por isso que acho que não estou explorando todo o meu potencial, tenho que refletir isto.

    Obrigado pelo texto, vou tentar aprender a guiar as minhas palavras para algo que impressionará até a mim mesmo 😉

    Abç

    Gean Riwster

  4. Diego 11/05/2012

    Não há nada mais forte e poderoso do que a sutileza e simplicidade de uma frase. Leia novamente a citação que você colocou no início do seu comentário. O impacto da frase vem da simplicidade e honestidade do autor. O que faz o leitor sentir não são as palavras em si, mas como você as utiliza no contexto da história.

Gostou do texto? O autor vai adorar saber. Deixe um comentário e compartilhe o artigo com outros escritores.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Copyright 2010-2017 Diego Schutt - Todos os Direitos Reservados | Ficção em Tópicos ® é uma marca registrada