Aprenda a criar realidades com palavras

Os livros digitais substituirão os livros de papel?

Por Diego Schutt em 19/08/2010 Tópicos: dicas
4
0

Em entrevista para a revista Exame, Mike Shatzkin, que atua no mercado editorial há 40 anos, afirma que a substituição de obras impressas por ebooks será inevitável e tem prazo para acontecer. Ele acredita que em 30 anos livros de papel serão artigo de museu. O consultor, que estuda o futuro da editoração há 20 anos, coloca que essa mudança de plataforma de leitura refletirá no trabalho de editoras, livrarias e escritores e tornará o hábito de leitura mais popular.

Leia a entrevista completa aqui.

Você acha que os livros digitais substituirão os livros de papel? Deixe um comentário.

4 escritores têm algo a dizer sobre este texto

  1. Fábio 19/08/2010

    Eu acho que uma plataforma não exclui a outra. Acredito que livros digitais vão conviver com os livros de papel por várias décadas. Em 30 anos talvez a situação apenas se inverta e os livros digitais vão ser mais comuns e populares do que os de papel. Não é só uma questão de praticidade. Livros são objetos colecionáveis. Eu adoro minha coleção e gosto de ter uma prateleira com eles na sala. Eles são também objetos de decoração. A arte não está só no texto. Também está na capa, na impressão, no papel, no encadernamento.

  2. Diego 24/08/2010

    Concordo contigo Fábio. Livros são mais do que as histórias que eles contém. Eu ainda não gosto da idéia da dominação absoluta dos livros digitais porque leio sempre com um lápis na mão para sublinhar e fazer anotações no livro sobre trechos que acho bacanas e idéias que surgem. Mas o iPad, por exemplo, com seu iBooks permite que se adicione notas com comentários nas páginas e que se sublinhe trechos com um marcador de texto digital. Para quem a vida inteira leu livros de papel, essa mudança é bem significativa. Mas para as gerações que nasceram na era digital, será que os livros de papel terão algum apelo?

  3. JUNIOR OLIVEIRA 31/05/2013

    Livros são objetos colecionáveis. Eu adoro minha coleção e gosto de ter uma prateleira com eles na sala. Eles são também objetos de decoração. A arte não está só no texto. Também está na capa, na impressão, no papel, no encadernamento.

    DO ACIMA CITADO , VENHO CONCORDANDO COM (Fábio says)

  4. Jeferson Moraes 30/07/2013

    Acredito que seja um bom momento para as editoras fazerem parceria com as indústrias eletrônicas.
    O grande problema dos livros digitais se refere aos aparelhos que serão empregados para lê-los.
    Também se sabe que livros digitais caem na web com facilidade absurda, o que chega a ser negativo para a editora e os escritores. Para o consumidor, não, afinal ele só quer a garantia para o seu produto e ao hospedá-la na web, ele deixa isso bem explícito.
    Acredito que de um ponto de vista, nossa adesão à tecnologia digital possa instigar a competição entre as empresas fabricantes de leitores digitais. Diferentes formatos, diferentes aparelhos, etc. Claro que isso não implica em prejuízo para quem faz a leitura digital em Desktop e notebook.
    Desde que haja um formato de arquivo padrão para a comercialização de livros digitais, de modo que você não tome uma surra dos diferentes aparelhos e seus fins específicos, tão-somente para a própria autoconservação empresarial por um produto singular no mercado.

Gostou do texto? O autor vai adorar saber. Deixe um comentário e compartilhe o artigo com outros escritores.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Copyright 2010-2017 Diego Schutt - Todos os Direitos Reservados | Ficção em Tópicos