Aprenda a criar realidades com palavras

Dica 6: Evite que perfeccionismo afete sua produtividade.

Por Diego Schutt em 16/08/2010 Tópicos: dicas
8
20

Perfeccionismo pode ser um defeito ou uma qualidade. Depende do quanto você permite que ele afete sua produtividade. Quando em doses moderadas, perfeccionismo serve de incentivo para refinamento e aperfeiçoamento dos seus textos. Quando em doses exageradas, ele traz pensamentos negativos, desorienta e paralisa.

Se seu perfeccionismo vem diminuindo sua produtividade, está na hora de reavaliar a forma como você se relaciona com as histórias que escreve. Ao invés de se apegar a algumas poucas ideias e tentar refiná-las ao extremo, aspire por escrever uma grande quantidade de textos.

Produzir uma grande quantidade de histórias boas vai aperfeiçoar suas habilidades de escritor mais do que produzir uma pequena quantidade de histórias “perfeitas”.

Leia as dicas 1 à 50.

Leia as dicas 51 à 100.

Sobre o Autor

Diego SchuttLer todos os textos de Diego Schutt
Diego Schutt combina ideias de teoria literária, dramaturgia e psicologia social para ajudar escritores iniciantes e experientes a desenvolver textos com mais confiança, foco e impacto. Sua formação técnica em escrita criativa inclui cursos e oficinas no Brasil, Austrália, Suíça, Estados Unidos, Inglaterra, Japão e Hong Kong. Há 7 anos, ele escreve e edita o Ficção em Tópicos, o site mais completo sobre storytelling em Português.

8 escritores têm algo a dizer sobre este texto

  1. Gean Riwster 10/04/2012

    E lá vai eu denovo com meus problemas de escritor.
    Ultimamente estou num ralo fundo e grudento que não me permite voltar a superfície.
    Fico embaraçado com os textos que ultimamente pesco.
    Quando experimento o gosto do que escrevo,acabo avaliando-nos maldosamente no processo,sempre cessando o andado para procurar expressões inovadoras,palavras difíceis ou fáceis que representa toda a frase…Então quando escrevo,automaticamente releio e já reedito.
    Isso seria até bom se não me desse tanto desânimo.Meus textos não dimana tão expressivamente como em tempos remotos,ou como gostaria que se tornassem.Descrições procedem quase automáticas,sendo todas elas muito parecidas,como um cantor compondo a mesma música em mesmas palavras,dança,mas somente com algumas diferenças na melodia.E TUDO isto me desanima a escrever.
    No fim fico estagnado,na desgraça de não poder fazer do jeito que queria que fosse,”aquilo que eu queria dizer”,e findo em fuga desesperada,não conseguindo correr daquela voz tênue,aquele rumorejar que me diz:”desista”.Convenceria se…
    Nunca fui incentivado pela família,na verdade acho que no fundo eles julgam que esta é só uma fase e que logo vai passar.E por algumas pequenas suspensões de tempo,capturado pela sagacidade de minha auto-retaliação,eu exaurira na crença molesta de que isto possa se tornar uma incontestável verdade.
    É fácil saber que o meu perfeccionismo começou esta execução magistral de primeiro desanimar-me a escrever,para depois parar de praticar e no fim esquecer,mas mesmo sabendo de onde brota a raiz,não sei desfazê-lo,pois ele se arraigara em toda a memória.É custoso.É maçante.É macanjo,infelizmente,e pela concomitância…
    Mas me apercebo as vezes com vontade de escrever,começo,mas no meio eu vou desanimando,desalinhando na preguiça que sussurra no meu ouvido que mesmo com inspiração,eu não consigo expressar-me belamente,ou que aquilo que estou escrevendo é algo que anceio sentir (não o que sinto).E que sem inspiração,não sou nada.
    Desventuras? Talvez.
    Então Diego,já se sentiu tão frustrado,preguiçoso…ou resumindo,completamente desanimado com seus textos e com vontade de desistir e deixar para trás?Pois eu queria aprender como deixar isto sair de mim,e ir.É um hospedeiro maldito a quem não sinto simpatia.Ninguém sente.

  2. Diego 14/04/2012

    Oi Gean

    Não é coincidência que você deixou seu comentário em um texto que fala sobre perfeccionismo. Percebi nas suas palavras que você parece estar criando grandes expectativas para tudo o que você escreve.

    Nem toda frase, expressão ou palavra da sua história precisa ser original ou inovadora. E mais, originalidade não é necessariamente um esforço racional. Muitas vezes, é quando você está relaxado, escrevendo sem grandes pretensões, que você escreve as descrições mais vívidas, os detalhes mais emocionantes.

    Sim, já me senti muito frustado e preguiçoso para escrever, inclusive para escrever textos para o Ficção em tópicos. Já pensei em desistir e abandonar o site diversas vezes no passado, já que aos meus olhos ele não estava “perfeito”. Mas ao longo do tempo, percebi que é melhor criar algo “imperfeito” do que não criar nada.

    Pense sobre essa frase:

    “Mesmo que ninguém na história do mundo tenha jamais alcançado perfeição em seu ofício, ainda acreditamos na mentira de que nós podemos alcançá-la.[…]

    Aceite: a perfeição não é uma opção.

    Aprender, trabalhar e se submeter às leis do seu ofício religiosamente é uma opção. E se você praticar isso, seu ofício pode, eventualmente, se tornar seu trabalho.” Robert Bruce

    sds
    Diego

  3. Tainá 24/03/2013

    Perfeccionismo é o meu maior problema(antes era só em desenho mesmo,ai acabou passando para os textos,assim como uma doença), já perdi a conta do prólogos que eu disse serem perfeitos, os revisei, e acabaram indo para o lixo,chega á ser agonizante!

  4. Diego Schutt 02/04/2013

    Acho que todo escritor conhece bem essa agonia, Tainá. Imaginar histórias e colocá-las no papel é apenas o começo. Depois dessa primeira etapa, é preciso determinação e disciplina para se estruturar a narrativa de forma a provocar o impacto desejado no leitor. É um trabalho muitas vezes frustrante, mas necessário.

  5. Vinicio 06/02/2014

    Eu tenho muito esse problema Diego. Acho que ele está ligado a mania de escrever para agradar, só pode!

  6. Alex 28/05/2014

    Olá, meu nome é Alex. Encontrei esse site justamente porque tenho algumas ideias de ficção e não sabia bem por onde começar, apesar de ter uma ideia (por coincidência, o nome do site tem como primeiro nome a palavra FICÇÂO). Já possuo um conceito principal; falta pensar em um bom enredo para iniciar de vez a história.Com relação ao tópico “perfeccionismo”, penso que sou um pouco, pois não consigo escrever um parágrafo e não revisá-lo. Sempre procurando erros de potuguês, pontuação errada, acentuação… Isso desanima mesmo. Vou procurar seguir as dicas do site que, de imediato, já me ajudou bastante!

    Até mais!!

  7. Laurent Saint du Maroni 11/05/2016

    Olá!

    Eu tenho muito desse problema. Eu estou sempre tentando sair do paragrafo, mas todas as vezes a história começa a soar melodramática, desinteressante e nunca do jeito que eu tinha imaginado. Isso é frustrante! Faz quase 4 anos que eu tento escrever esse livro mas a história nunca está boa o suficiente.

  8. ONAI ONAI 15/01/2017

    Eu diria que o perfeccionismo não é desse mundo. Veja bem, se até autores de grandes obras consideram suas criações medianas ou imperfeitas imagine nós que ainda estamos engatinhando na escrita.

Gostou do texto? O autor vai adorar saber. Deixe um comentário e compartilhe o artigo com outros escritores.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Copyright 2010-2017 Diego Schutt - Todos os Direitos Reservados | Ficção em Tópicos ® é uma marca registrada