Aprenda a criar realidades com palavras

Roteiro de “Mais Estranho que a Ficção” faz uso criativo de narrador-personagem.

Por Diego Schutt em 10/07/2010 Tópicos: inspiração
2
15

A comédia americana Stranger than Fiction (Mais Estranho que a Ficção em português) conta a história de Harold Crick, um agente da receita federal que tem uma rotina monótona, repetitiva e sem graça. Até que um dia ele começa a escutar uma voz dentro da sua cabeça que narra com precisão todas as suas ações, pensamentos e sentimentos.

Com a ajuda de um professor de literatura, Harold descobre que tal voz pertence à Karen Eiffel, escritora conhecida por matar os protagonistas no final dos seus livros. Apavorado com seu possível final literário, Harold tenta de todas as formas encontrá-la para convencê-la a escrever um final menos trágico para sua história.

Além de um roteiro divertido e original, complementado por ótimas atuações de Will Ferrell e Emma Thompson, o filme nos convida a assumir o papel de protagonistas das nossas vidas e escrever nossa história com o final que desejamos.

Assista abaixo ao trailer.

Você já assistiu ao filme? O que você achou?

 

Aprenda a plantar ideias e colher histórias.

O Jardineiro de Ideias é um curso/oficina ONLINE que ensina a escrever ficção de um jeito mais intuitivo, espontâneo e criativo. CLIQUE AQUI para saber mais.

Sobre o Autor

Diego SchuttLer todos os textos de Diego Schutt
Diego Schutt combina ideias de teoria literária, dramaturgia e psicologia social para ajudar escritores iniciantes e experientes a desenvolver textos com mais confiança, foco e impacto. Sua formação técnica em escrita criativa inclui cursos e oficinas no Brasil, Austrália, Suíça, Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra e Japão. Há 7 anos, ele escreve e edita o Ficção em Tópicos, o site mais completo sobre storytelling em Português.

2 escritores têm algo a dizer sobre este texto

  1. Thalita 02/08/2012

    Gostei dessa história que me lembrou muito um livro que li há muito tempo chamando ” Nem para sempre , nem nunca mais.” Que se não me falha a memória foi escrito por Maria da Gloria Cardia.
    Me lembrou pois no livro mencionado a protagonista vive em conflito com a escritora da história.
    Gosto de livros assim, diferentes e ao mesmo tempo que me fazem pensar que somos personagens de uma grande história.

    Vou ver o filme!

  2. Acho que você vai adorar o filme Thalita. Depois me diz o que você achou. 🙂

Gostou do texto? O autor vai adorar saber. Deixe um comentário e compartilhe o artigo com outros escritores.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Copyright 2010-2017 Diego Schutt - Todos os Direitos Reservados | Ficção em Tópicos